sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Paper Towns

Quentin é um estudante universitário apaixonado pela sua enigmática vizinha Margo desde a infância. Depois de o levar consigo numa aventura de uma noite pela sua cidade natal, Margo desaparece subitamente - deixando para trás um mistério de enigmáticas pistas para Quentin decifrar. A busca leva Quentin e os seus perspicazes amigos numa emocionante viagem, que terá tanto de hilariante como de comovente. Por fim, para encontrar Margo, Quentin terá que descobrir em si uma compreensão mais profunda da verdadeira amizade - e do verdadeiro amor...


John Green volta ao cinema depois do sucesso The Fault in Our Stars, com Cidades de Papel. 
Um filme que me surpreendeu bastante pela positiva! Uma história que nos toca não pela 'pena' por um amor impossível devido à morte, mas porque todos nós já passamos por aquele momento na nossa vida em que nos vemos no último ano do secundário e sabemos que a qualquer momento tudo vai mudar. Essa parte tocou-me especialmente.
Temos aqui um rapaz que depois de anos e anos rodeado pelo mesmos amigos, nas últimas semanas de aulas acaba por viver os melhores momentos da sua vida, e muitos deles acompanhado por alguém que sempre viveu ao extremo, e é essa diferença que torna este filme diferente.
John Green volta a presentear-nos com um final inesperado e que se opõe aos finais felizes deste tipo de romances para jovens. 
Um filme bastante interessante, não posso neste caso compara-lo ao livro, mas por si é bastante bom! E atenção, este não é um filme de raparigas!

Sem comentários:

Publicar um comentário